Growth Hacking: como ele pode ajudar a sua empresa?

Em um mundo globalizado e pautado pelas inúmeras mudanças que acontecem diariamente, é natural que estratégias de marketing sempre aprimoradas.

Claro, ainda existem modelos de negócios antigos até hoje, mas muitos foram criados e alterados com o passar do tempo.

O número de produtos (e serviços!) cresceu sem precedentes junto à quantidade de empresas que surgiram e desapareceram. De acordo com a Fortune, 90% das novas startups não vão para frente.

Muitas empresas, de características diferentes não enxergaram as oportunidades que o marketing digital abriu para o mundo. É exatamente nesse ponto que faço a deixa para finalmente definir o tal do Growth Hacking.

Por definição, o Growth Hacking é o marketing voltado a experimentos. Ou seja, encontrar brechas entre os acontecimentos presentes, o comportamento do público, o desempenho do produto ou serviço, estratégias já existentes e suas performances para gerar resultados exponenciais de crescimento para a empresa.

Este conceito foi criado pelo empresário Sean Ellis em 2010, quando ele procurou descrever esse trabalho. Ellis é CEO e fundador do GrowthHackers.com, maior portal de conteúdo sobre Growth Hacking do mundo.

Quem é o Growth Hacker? O que ele faz?

Por mais que existam profissionais denominados “growth hackers”, esse modelo de estratégia pode (e até deve) ser aplicado pelos mais diversos pontos da empresa, porque consiste em uma maneira alternativa de pensar o produto ou serviço, suas relações com o consumidor e o impacto de suas ações no crescimento. E é no crescimento que o “growth hacker” foca.

O profissional precisa ter conhecimento de todos os artifícios ao alcance de suas mãos, desde as ferramentas de baixo custo e de análise, até aquelas que sejam criativas e inovadoras. Porém, mais importante do que as ferramentas à disposição do growth hacker são os conhecimentos que ele possui sobre o meio, os consumidores, o mercado e, principalmente, sobre o produto ou serviço com o qual irá trabalhar.

Por exemplo, um profissional de marketing que trabalha em uma startup de algum aplicativo dificilmente conseguirá aplicar o growth hacking por não possuir domínio dos sistemas de informação em questão. O mesmo vale para o engenheiro de produtos, que não domina os conceitos fundamentais do marketing a respeito do mercado e dos consumidores.

Qual o crescimento que estamos falando e o que preciso para alcançá-lo?

Seja ele financeiro ou de engajamento com o público, a criatividade é a maior arma do growth hacker. Através dela, este profissional encontra maneiras de combinar todo seu conhecimento sobre empresa, produto e consumidores para gerar crescimento.

Por meio de quais meios eu consigo implementar o Growth Hacking?

SEO, SEM, Offline Ads, Inbound e E-mail Marketing, esão alguns meio de implementar o Growth Hacking na empresa.

Mas aqui vai um segredo da Monster Digital para você que se interessou pelo assunto: vídeos!

Eles conseguem nos conectam a nível emocional e tanto esse apelo quanto as “brechas” do Growth Hacking podem ser bem aplicadas pelos filmes.

Afinal, o marketing digital aposta tudo nos vídeos como tendência p
ara o ano de 2018.

“Ahhhh, tá falando isso pra vender o serviço de vocês”

Pode ser que sim, pode ser que não, mas uma coisa é fato: este artigo é para te ajudar e se você não acredita nisso, os números provam o contrário.

Segundo o MIT, o cérebro humano pode processar imagens inteiras em apenas 13 milissegundos. Isso é refletido no número de compartilhamento e views de elementos visuais nas redes sociais.

A WordStream mostra alguns dados sobre o alcance dos vídeos nos dias de hoje. 500 milhões de horas em vídeos são assistidas através do YouTube diariamente. Vídeos em redes sociais são compartilhados 1200 vezes mais do que imagem e texto combinados. O internauta passa 88% mais tempo em sites que possuem vídeos. Vídeos tem uma retenção da mensagem 85% maior do que as mensagens passadas por texto.

Esses números comprovam o crescimento exponencial que os recursos audiovisuais representam na era digital. Em breve, quase três quartos do tráfego da internet será por meio do vídeo e eu não aconselharia deixar a sua empresa fora desse número!

Quer saber mais sobre Growth Hacking? Recomendamos a leitura do artigo do empresário Marcelo Toledo sobre o assunto. Para acessá-lo, é só clicar aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *