Como criar um roteiro de cinema?

Um roteiro de cinema, apesar de ser também escrito, é diferente do que escrever uma história. Ele possui formatações diferentes, tamanhos diferentes, e, principalmente, objetivos diferentes.

Uma história em um livro, blog ou site será lido exatamente como foi escrito. Já o roteiro, deverá narrar os eventos conforme eles forem acontecendo no filme. Por isso ele possui algumas regrinhas diferenciadas para garantir que será um sucesso.

Para entender como criar um roteiro de cinema que faça sucesso, é preciso primeiramente ter em mente que o seu objetivo como roteirista é fazer com que seu roteiro seja lido.

Exatamente. Não adianta sua história ser boa, se não for bem escrita.

Mas o que é um roteiro de cinema?

Um roteiro é, basicamente, um documento, um guia que contém as cenas e diálogos de um filme ou vídeo. Para entender bem o que é o roteiro de cinema, basta imaginarmos que ele é o filme, porém escrito antes da gravação.

O roteiro é o que dará a forma do projeto, definindo os lugares de gravação, ajudando o diretor a selecionar seus atores, fazer com que esses atores compreendam seus personagens antes mesmo de encenarem.

É também através do roteiro que se pode definir a ordem de gravação das cenas. Diferente de quando assistimos o filme finalizado, as gravações não precisam ser (e normalmente não são) gravadas em ordem.

Doc Comparato, grande roteirista e dramaturgo brasileiro, define roteiro assim: “É a forma escrita de qualquer audiovisual. É uma forma literária efêmera, pois só existe durante o tempo que leva para ser convertido em um produto audiovisual. No entanto, sem material escrito não se pode dizer nada, por isso um bom roteiro não é garantia de um bom filme, mas sem um roteiro não existe um bom filme.”

Criando um roteiro

Leia os roteiros dos seus filmes favoritos

Ou, em outras palavras, inspire-se! Porém, seja crítico. Descubra o que você gosta e não gosta sobre eles. Entenda como a ação é descrita, como o diálogo é escrito e os personagens desenvolvidos.

Faça o esqueleto do seu trabalho

Quando você começou a pensar em escrever um roteiro, você provavelmente já tinha uma ideia em mente. Esse é o momento de escrever essa ideia. Faça um esboço do enredo, adicione detalhes que ache necessários, relacionamentos, personalidades…

Defina tudo aquilo que, mais tarde, irá guiá-lo na história. Ao ter um esboço feito, você só precisará desenvolvê-lo mais tarde e não precisará se preocupar com um bloqueio de criatividade.

Escreva o básico da história

Antes de já começar a escrever todas as cenas de uma vez, vá delineando a história aos poucos. Não adicione detalhes ainda. Essa é a hora de escrever coisas básicas e rápidas.

Por exemplo, ao invés de escrever um capítulo inteiro, escreva o resumo do que irá acontecer naquele capítulo (ou cena, no caso do roteiro). Faça assim para todo o roteiro. Ao escrever o básico, você facilita o seu trabalho mais tarde.

Escreva sua história em três atos

Os pilares de um roteiro e de toda boa história escrita são os três atos. Cada ato é independente, mas juntos providenciam o arco completo da história.

Primeiro ato

Este é o início da história. É onde você irá apresentar o mundo e os personagens. É onde também você dará o tom da história, seja ela uma comédia, ação, romance, etc. Você deve apresentar o seu protagonista e começar a explorar o conflito que guia a história.

Assim que o protagonista começa a enfrentar o objetivo, começa o segundo ato. Para dramas, o primeiro ato é normalmente de 30 páginas. Já comédias, 24 páginas.

Segundo ato

O segundo ato compõe a parte mais importante da história. O protagonista irá encontrar obstáculos no seu caminho para poder resolver o conflito apresentado no primeiro ato. As subtramas são tipicamente introduzidas no segundo ato.

Durante o segundo ato o protagonista deve começar a demonstrar sinais de mudança. Para dramas, o segundo ato é tipicamente 60 páginas. Comédias, 48 páginas.

Terceiro ato

É no terceiro ato que a história alcança sua resolução. É aqui o momento de adicionar os famosos “plot twists”, que seriam uma reviravolta na história.

Ao chegar perto do fim, o protagonista deve ter seu confronto final para alcançar o objetivo. Já que a história já foi estabilizada no segundo ato, o terceiro tem um ritmo muito mais acelerado e é mais condensado. Para dramas, o terceiro ato normalmente contém 30 páginas. Comédias, 24 páginas.

Escreva sequências

Agora é a hora de coletar todas as informações e esqueletos criados e juntá-los, criando toda a história. Lembre-se dos três atos ao escrever suas sequências.

Uma sequência possui normalmente 10 a 15 páginas e todas as sequências têm a tendência de focar em um personagem específico.

Escreva cenas

As cenas são os eventos do seu filme. Elas acontecem em um local específico e devem sempre levar a história para frente. Se uma cena não fizer isso, então deverá ser cortada!

Cenas que não servem ao propósito de levar a história para frente serão vistas no olhar da sua audiência como erros.

Escreva diálogos

A partir do momento que você tiver cenas no seu roteiro de cinema, significa que seus personagens estão interagindo. Os diálogos podem acabar sendo uma das coisas mais difíceis de escrever, mas não desanime.

Lembre-se que cada personagem deve ter uma voz distinta, que o diferencie dos demais.

Um diálogo realista nem sempre será um bom diálogo. O diálogo, assim como as cenas, deve estar focado em levar a história para frente. Por isso não fique muito focado em deixar um diálogo realista. De fato, muitas vezes os diálogos na vida real não são emocionantes como nos filmes.

Leia seus diálogos em voz alta. Tente perceber se eles estão com a mesma voz, se os personagens parecem todos iguais. E o sentimento, está nas palavras? Você consegue perceber a raiva, a paixão, a alegria?

Corte coisas desnecessárias

Agora que você já tem todas as suas ideias no papel, está na hora de procurar as cenas desnecessárias, diálogos infundados, distrações, ou quaisquer coisas que deixe a história arrastada.

Se houver repetições ou detalhes dispensáveis, não tenha medo de cortá-los. Pode ser difícil para um roteirista ver o seu trabalho ser dispensado dessa forma, mas é isso que fará o seu roteiro de cinema ser um sucesso.

Mostre o seu trabalho para pessoas de confiança

As pessoas de confiança não devem ser apenas pessoas que você confia em não mostrar para ninguém. Pessoas de confiança são também aquelas que serão críticas ao que você escreveu, sem ter medo de magoar os seus sentimentos.

Também é importante que você escolha pessoas diferentes entre si e com gostos distintos, para que você possa ter uma variedade de opiniões.

Revise quantas vezes for necessário

Revisar não é uma tarefa divertida de se fazer. De fato, um conselho de Stephen King, o mestre do terror, é que você tire um tempo depois de terminar de escrever. King aconselha seis semanas, para que você possa esquecer os detalhes da sua história.

Com a mente limpa dos detalhes, depois desse período você poderá revisar a sua história sabendo que não estará apegado a esses detalhes e aos personagens.

Não tenha medo de fazer cortes, como dissemos anteriormente. Revisar faz parte do processo de escrever e, quando terminar o seu roteiro de cinema, verá que tudo valeu a pena.

Esperamos ter ajudado você a entender como criar um roteiro de cinema. Se tiver qualquer dúvida ou sugestão, não esqueça de deixar um comentário para a gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *