Trilha sonora: o que é e como usar?

A música carrega em si o dom de emocionar quem a ouve. É fácil assistir um filme e ser levado às lágrimas por conta das cenas, mas principalmente pela trilha sonora. É certo que uma cena emocionante não seria a mesma sem a música escolhida.

Desde sempre se usou a música para as cenas do cinema, porém nem sempre esse som foi sincronizado com as imagens.

Assistir a uma imagem sem ouvir seu som causa incômodo, de modo que até mesmo os dramas teatrais eram acompanhados de coral e orquestras.

O cinema mudo

O cinema nunca foi totalmente sem som. De fato, quando as pessoas assistiam as projeções cinematográficas nos últimos anos do século XIX, assim como em produções teatrais, havia uma orquestra para criar a trilha sonora das cenas.

Esse método continuou até que o cinema ganhou som, na estréia de O cantor de Jazz, o primeiro filme falado da história. Como o próprio nome diz, milhares de pessoas se emocionaram com a voz do cantor e a música que não precisava mais ser tocada ao vivo.

É claro que a qualidade do som estava longe de ser a ideal, porém foi uma grande revolução para a época.

Dois filmes muito famosos retratam o nascimento dos filmes falados e dos musicais: O Artista, filme indicado a 10 Oscars e vencedor de 5, inclusive o de Melhor Trilha Sonora, e o clássico Cantando na Chuva, considerado o maior musical americano de todos os tempos em 2006.

Trilhas originais

Charlie Chaplin foi um dos primeiros diretores a criar uma trilha sonora original para seus filmes, escrevendo ele mesmo as partituras. Hoje em dia muitos filmes utilizam trilhas sonoras originais, contratando músicos consagrados para dar emoção às suas cenas.

Hans Zimmer é um desses artistas, conhecido por criar incríveis trilhas instrumentais para filmes como Dunkirk, Interestelar e Gladiador, além de ter sido vencedor do Oscar de Melhor Trilha Sonora Original da animação Rei Leão, em 1994.

Não só de trilhas instrumentais vive o cinema, com muitos filmes criando letra e música para suas cenas. Em um caso mais recente, ganhando o Oscar de Melhor Canção Original, a animação Viva – A vida é uma festa arrebatou os corações de crianças e adultos com a canção Remember Me.

As trilhas sonoras são capazes de emocionar, causar medo, suspense, antecipação ou mesmo criar uma ambientação para o cenário. Muitas vezes a música de certa cena possui apenas tambores ou uma suave vibração.

Trilhas com músicas existentes

Nem sempre é necessário criar músicas originais para criar uma trilha sonora. Muitos filmes criam cenas incríveis utilizando músicas já existentes.

O trabalho pode até ser mais barato do que contratar um músico para criar uma trilha original, mas nem por isso é mais fácil.

Encontrar a música ideal para as cenas de suspense, romance ou dança, por exemplo, pode levar bastante tempo e ser bastante trabalhoso.

Muitas produções cinematográficas falharam ao entregar uma trilha sonora que faça sentido para as cenas e outros não se destacaram nesse quesito.

No entanto, alguns filmes revolucionaram com suas trilhas, fazendo com que a música específica e o filme sejam quase sinônimos um do outro.

Um bom exemplo é a trilha sonora da incrível obra de Quentin Tarantino, Pulp Fiction, cuja trilha é considerada como uma das melhores de todos os tempos. Uma cena em específico conta com a música You Never Can Tell, de Chuck Berry, para embalar a dança de Uma Thurman e John Travolta.

A cena é lindamente executada pelos atores, porém é justo dar valor à escolha da música. Sem ela a cena poderia não ter tido o mesmo sentido e talvez nem mesmo feito o sucesso que fez.

Trilha sonora na publicidade

Nem só de cinema vivem as trilhas sonoras. Para comerciais televisivos, por exemplo, músicas são escolhidas a dedo para diferentes produtos.

A música na publicidade é tão importante que é comum pessoas pesquisarem pelas canções na internet depois de assistir os comerciais. Até mesmo sites foram criados para esse fim, como o Radiorama.

Assim como no cinema, a música na publicidade tem o fim de criar diferentes emoções no telespectador, além de, claro, induzi-lo a consumir seu produto.

Ford

Para o lançamento de seu novo carro, a Ford lançou o comercial com a música Back in Black, da banda de rock AC/DC, que foi um tremendo sucesso para os fãs e para outras pessoas que nem mesmo gostavam do estilo musical, mas que aproveitaram para conhecer.

Wolksvagen

Fazendo grande sucesso entre fãs da saga Star Wars, a Wolksvagen utilizou muitíssimo bem a Marcha Imperial para fazer a propaganda de seu novo carro. A música, que já era sucesso nos filmes e até mesmo fora deles, teve uma ótima recepção dos telespectadores.

Pepsi

Criando uma paródia com a música Billie Jean, Michael Jackson participou do comercial da Pepsi, com o slogan Pepsi Generation (Geração Pepsi). Tanto a música quanto o comercial e a paródia ainda são lembrados até hoje.

Usando as trilhas sonoras

Utilizar e criar uma trilha sonora adequada para seu filme não é um trabalho fácil, mas pode ser muito recompensador. O ideal é que seja feito um planejamento e análises a fundo do que se espera alcançar com o filme ou vídeo.

A música é capaz de causar diferentes emoções em quem a ouve, assim como as imagens. Para causar o efeito correto e esperado, é necessário escolher com muita cautela as músicas, ou o profissional que criará uma trilha original.

Independente da escolha, é fundamental entender a importância das trilhas sonoras para o mundo dos vídeos como o conhecemos hoje.

Esperamos ter ajudado a compreender o mundo das trilhas sonoras e a sua utilização nos diferentes filmes e vídeos, tanto no cinema quanto nas propagandas. Deixe um comentário com a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *